Thursday, 21 March 2013

ninguém pra contar



...que a vida anda mesmo ruim. que eu tô achando que o amor vai do nada a lugar nenhum. que eu jogo em outras cidades minhas esperanças pra ver se assim vai que. algum sentido, talvez. contar que faz dias que estou na cama, assistindo aos programas que a televisão me dá (às vezes friends, às vezes um filme qualquer), comendo besteira atrás de besteira. contar que faz séculos que não vou à academia e que deveria ter marcado depilação pra essa semana porque a minha sobrancelha tá chegando no frida kahlo level, mas não marquei. também não marquei os 2 médicos, o exame, o cinema, a exposição. também não comprei o caderno, não fui à praia, não li os livros, não terminei os trabalhos.

contar que agora, sabe deus por que, eu guardo um choro misterioso na garganta e já não é só o amor o problema, mas o mundo inteiro. e chorar no colo de alguém já não adiantaria nada porque o colo também me parece um problema a mais. fica, então, essa vontade enlatada de sair gritando "estou infeliz, me liberta daqui", tipo aquela peça que não lembro o nome, e o meu suspiro final de resignação, sabendo mesmo que não há libertação possível, como quem diz: tudo bem, vai passar. um dia desses, passa. dia desses, tudo passa.